empilhadeiras elétricas

Empilhadeiras elétricas são frágeis?

Escutamos sempre alguém dizer que empilhadeiras elétricas são frágeis, não podem trabalhar em ambientes externos, e uma série de preconceitos que vamos tratar aqui neste artigo.

Primeiramente, vamos deixar claro que estamos falando das empilhadeiras elétricas de classe 1, as empilhadeiras elétricas de contrapeso.

Não estamos falando as empilhadeiras elétricas de classe 2, as empilhadeiras retráteis, e nem das empilhadeiras elétricas patoladas com operador à pé, classe 3.

Se você quiser entender melhor essa classificação da associação mundial dos fabricantes a WITS, você pode ler nosso artigo que fala sobre todos os tipos de empilhadeiras, aqui.

Diferenças entre empilhadeiras elétricas e empilhadeiras à combustão

Quais são as principais diferenças entre os dois tipos de empilhadeiras, elétricas e combustão? Além do motor e do seu combustível, onde a diferença é óbvia, o que mais há de diferente entre elas?

Rodagem

Normalmente as empilhadeiras elétricas são cotadas com pneus superelásticos. E normalmente as máquinas à combustão são cotadas com pneus pneumáticos, com ar no seu interior.

Nada impede que uma máquina elétrica use pneus pneumáticos e uma empilhadeira à combustão use um pneu superelástico, inclusive é recomendado que o faça, caso haja muitos restos de madeira, pregos no pátio, evitando que o pneu fure toda hora.

Esse padrão se estabeleceu assim porque justamente as empilhadeiras a gás, diesel, gasolina, devem rodar preferencialmente no pátio, ambientes abertos, e nesses locais normalmente há buracos. Um pneu com ar absorve melhor os impactos, uma vez que as empilhadeiras não possuem amortecedores.

Ademais, as elétricas que trabalham normalmente em ambientes internos, usam pneus superelásticos porque nesses ambientes internos não há buracos (assim se espera, rsrs) e o pneu superelástico dá maior estabilidade lateral à máquina, não depende de calibração correta, facilitando a vida de todos.

Capacidade de carga

Muito se fala sobre a fragilidade da máquina elétrica porque elas não são de 2,5 toneldas, porque elas não aguentam levantar esse peso.

Isso não é verdade. Vários fabricantes possuem empilhadeiras elétricas para levantar 8 toneladas em seus garfos e trabalharem 8 horas até a recarga da bateria.

É que normalmente, no Brasil, elas são melhor especificadas do que as máquinas à combustão. Como na grande maioria das operações do Brasil o palete tem no máximo 1.200kg, uma máquina de 1600kg atende com folga as operações.

Trabalham em ambientes internos e externos?

Sim, as duas trabalham em ambientes internos e externos, mas com restrições sobretudo para as empilhadeiras à combustão.

Por emitirem gases nocivos à saúde humana as empilhadeiras à combustão não podem ser usadas em ambientes fechados, tais como câmaras frias onde se armazena frutas, flores, comida.

Se for utilizada nesse tipo de ambiente totalmente fechado por muito tempo, o operador vai perdendo a consciência lentamente e pode vir a óbito. Isso sem falar na contaminação dos produtos ali contidos, com fuligem.

É possível usar empilhadeiras à combustão dentro de galpões, armazéns, desde que haja uma boa circulação de ar, para que os funcionários não inalem uma quantidade muito grande de CO2.

Portanto, para ambientes fechados a mais indicada é a empilhadeira elétrica, pois não emite gases nocivos à saúde. Acreditamos que deveria haver uma norma mais explícita sobre o tema, uma vez que é proibido fumar em locais fechados, as empilhadeiras à combustão deveriam sofrer mais restrições.

Custo total de aquisição em 5 anos

A empilhadeira elétrica é mais cara na hora de comprar, isso porque elas são, na sua grande maioria, importadas. Também o motor elétrico e a tecnologia embarcada encarecem um pouco esse modelo.

Contudo, se compararmos o custo total de aquisição de uma empilhadeira elétrica versus o custo total de aquisição de uma empilhadeira à combustão, veremos que em 5 anos a empilhadeira elétrica é infinitamente mais barata do que a combustão, sobretudo quando usada por 2 turnos ou mais.

Mas porque, então, as máquinas à combustão são mais utilizadas no Brasil? Vale a pena conferir o documentário “quem matou o carro elétrico” está disponível no Youtube.

Assistindo o documentário vocês vão entender quais são as questões em jogo e porque o carro elétrico que era bem popular na década de 80 nos EUA foi recolhido e destruído pelas montadoras.

Conclusão, a empilhadeira elétrica é mais frágil?

Pelo contrário. A empilhadeira elétrica requer menos manutenção, os intervalos são maiores e menos itens de desgaste, maior vida útil do motor.

As empilhadeiras elétricas são mais versáteis, podem trabalhar em ambientes confinados e ambientes externos. Suporta sim trabalhar na chuva leve, desde que os seus componentes eletrônicos não tenham contato com a água (normalmente entram por baixo da máquina).

O custo total de aquisição de uma empilhadeira elétrica é menor quando se coloca na conta os custos de manutenção em 5 anos de uso, além do custo do combustível, sendo a eletricidade infinitamente mais barata do que o glp, diesel ou gasolina.

Na europa 80% das empilhadeiras são elétricas, e são usadas em todas as funções. Normalmente as máquinas a combustão são usadas em operações pesadas para 8 toneladas ou mais, uma vez que as empilhadeiras elétricas de contrapeso vão até a capacidade de 8 toneladas.

Artigo escrito por Daniel Santos, gestor de conteúdo Empilhando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rua Gastão Madeira, 427 cj13

Ubatuba – SP CEP 11680-000

Daniel Felipe Quaresma dos Santos ME

CNPJ 32.860.139/0001-00

Atalhos do site

© 2020 compartilhamentos autorizados desde que mantido a fonte, com link dofollow.

Compartilhar no

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Apoie! compartilhar no

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

50% de desconto no curso de operador de empilhadeira