telemetria

Os segredos ocultos revelados pela telemetria

Com o advento da tecnologia, e da telemetria, os equipamentos de movimentação e armazenagem ganham, a cada dia, mais um desempenho.

Ganhos de produtividade com a tecnologia

Primeiramente a tecnologia da telemetria permite aos operadores logísticos ganhos de produtividade permitindo assim que mais cargas, paletes e materiais sejam movimentados de forma consistente e constante.

Ainda que esses equipamentos sejam modernos e mais produtivos, além de exigirem uma intervenção de manutenção reduzida devido a componentes inteligentes e mais duráveis, os custos envolvidos numa operação logística, sobretudo com os próprios equipamentos.

Mais do que isso, os riscos inerentes à operação tem despertado o interesse dos usuários/compradores de equipamentos para um novo universo, que está ganhando espaço na intralogístca: a TELEMETRIA.


O que é telemetria?

Mas o que é realmente essa telemetria procurada pelos usuários? Qual sua finalidade?

Quais benefícios que uma empresa obtém no instante que uma montanha de dados começa e aparecer nas telas dos gestores de operações logísticas?

Bem, dentro de minha história profissional, tive a oportunidade de trabalhar para um importante conglomerado francês que possui uma divisão de tecnologia automotiva, na qual nossos produtos eram justamente soluções de gestão de frota.

Lembro-me de, como gestor e coach, ter experienciado situações onde descobríamos as mais diversas necessidades e nossa missão era justamente canalizar essas mesmas necessidades para o produto/solução mais apropriada na ocasião.

A telemetria é o ato de “medir à distância”, ou seja, conhecer o que está acontecendo com o equipamento no momento em que ele é operado, qual sua condição, os parâmetros mais importantes em seus sistemas e qual a situação operacional em que se encontra.

Alguns pontos importantes são sempre considerados quando falamos em telemetria:

  1. Pressão de sistemas hidráulicos;
  2. Temperatura do sistema de arrefecimento (máquinas a combustão);
  3. Consumo de combustível (GLP e Diesel em máquinas a combustão);
  4. Tensão e corrente em máquinas elétricas;
  5. Velocidade de deslocamento em retas e curvas (obtidas através da medição de angulação de giro do volante/timão);
  6. Tempo de máquina parada ligada e em operação (níveis de produtividade);
  7. Carga de bateria tracionaria (máquinas elétricas);
  8. Identificação do operador em atividade;

O que a telemetria é capaz de medir?

Além desses oito parâmetros, muitos outros podem ser adicionados e até mesmo personalizados em sistemas como o STILL Fleet Manager ou o LINDE Connect, que permitem várias configurações e adaptações de acordo com a exigência da operação.

No item 7, citado acima, vai uma especial atenção às cargas de baterias tracionárias e os riscos que uma ingerência destas pode ocasionar descargas severas (abaixo de 15%).

Inegavelmente as “descargas profundas”, ocasionam danos à bateria e podem comprometer as mesmas e em seguida, afetar sistemas das máquinas como motobombas hidráulicas, motores de tração e módulos eletrônicos de controle (certamente os módulos eletrônicos são os que mais sofrem).

Pior do que isso, após uma descarga profunda, a bateria precisa de intervenção técnica para ser recuperada.

Só para ilustrar, o custo total de reparo (mão de obra + componentes) pode chegar a 40% do custo de aquisição de uma bateria nova (baterias podem passar de R$ 50 mil).

Tive no passado um cliente que utilizou um sistema de gestão de frotas e de telemetria. O principal foco era justamente o controle da gestão de cargas de baterias das empilhadeiras elétricas. Acreditem, ele gastava, e gastava muito, com problemas de gestão de cargas de baterias.

Telemetria e a prevenção de acidentes

A prevenção de acidentes também é um fator de risco e muito abordado na telemetria e gestão da frota.

De fato, o risco e a preocupação com o bem-estar humano são fatores que por si só já justificam controlar a operação e inclusive restringir ações dos operadores, de forma remota e que possam trazer riscos reais de acidentes.

Os sistemas de telemetria inclusive permitem a personalização de parâmetros de acordo com a proficiência de cada operador em cada equipamento.

Os benefícios na gestão de frotas

Controlar e gerir a frota pode trazer benefícios como:

  1. Reduzir os custos com manutenção (os sistemas controlam os horímetros e avisam quando a máquina deve parar para a preventiva);
  2. Redução de acidentes e custos envolvidos (pessoal e material);
  3. Reduzir os custos operacionais (combustível, peças);
  4. Adequação de frota (as medições de desempenho permitem ajustes às quantidades de equipamentos dentro de uma operação);
  5. Adequação de pessoal envolvido na operação logística;
  6. Ganhos com maior disponibilidade de máquinas = mais paletes movimentados por equipamento;

Quando aplicar a gestão de frota? Essa é uma pergunta que os gestores me fazem e eu geralmente respondo com algumas perguntas:

  1. Você, hoje na atual situação sabe como está o status dos equipamentos na operação? 
  2. Você sabe qual máquina produz mais, qual está dando mais trabalho quando falamos de manutenção?
  3. Qual o nível de produtividade de cada operador? E os acidentes?

É um tanto difícil especificar um número, mas por outro lado, só para ilustrar, acredito que, acima de 8 equipamentos, quando muito exigidos, acima de 350 horas/mês, está na hora de começar a controlar a frota de forma sistêmica.

Ao mesmo tempo é muito, muito importante mesmo, salientar que ter somente os dados obtidos pela telemetria sem implementar um sistema de controle, “ranqueamento” dos operadores e sem gerir diariamente os equipamentos, você estará simplesmente jogando dinheiro fora.

E certamente isso “dói” a qualquer gestor, pois é desperdício e nesse atual momento que vivemos, não podemos nos dar ao luxo de tal coisa.

Controle da frota pelo celular

Para isso, os sistemas de gestão e telemetria informam no seu celular os dados, infrações e inconsistências que possam afetar sua operação

Após esse “disparo informativo”, mesmo do celular ou de um computador dedicado à gestão, ações preventivas podem ser tomadas, permitindo controle e gestão eficiente dos equipamentos e da equipe.

A cada dia que passa seremos mais exigidos, o mundo, a economia e o ambiente competitivo sempre demandarão mais de todos nós.

Em conclusão e diante deste cenário, utilizar ferramentas inteligentes de gestão e que entregam informações contundentes e na medida exata para a correta tomada de decisão serão cada vez mais comuns em nossas organizações.

Um abraço!

Eduardo Isaac

Nota editorial: Este artigo foi escrito por Eduardo Isaac, profissional competente e parceiro do projeto Empilhando.com.br. Atualmente está em busca de novos desafios e você pode visitar o perfil dele no LinkedIn clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rua Gastão Madeira, 427 cj13

Ubatuba – SP CEP 11680-000

Daniel Felipe Quaresma dos Santos ME

CNPJ 32.860.139/0001-00

Atalhos do site

© 2020 compartilhamentos autorizados desde que mantido a fonte, com link dofollow.

Apoie! compartilhar no

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Compartilhar no

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn