tipos-de-empilhadeiras

Tipos de empilhadeiras e sua classificação WITS

Você sabia que existem vários tipos de empilhadeiras e uma associação internacional que é informada sobre a quantidade de empilhadeiras vendidas em cada país? O nome desta entidade é WITS, que significa em inglês World Industrial Truck Statistics. Traduzindo para o português seria “estatísticas mundias sobre máquinas industriais”.

Empilhadeira-Trilateral
Empilhadeira Trilateral

Classes e tipos de empilhadeiras de acordo com a WITS

Como fazer que o mundo inteiro reporte as vendas em números absolutos, cada tipo de empilhadeira?

Padronizando. Assim inventaram as classes de empilhadeiras, que vai de 1 à 7. No infográfico falamos de 1 à 6, pulando a 4, porque as classes 1, 2, 3, 5 e 6 são as mais comuns no Brasil, mas já vamos falar da 4 e da 7 também pra vocês.

Classe 1 – Empilhadeiras elétricas de contra-peso

Drnw750Tjnxm Ig2 Tdho0Roenoidxxrthfqvdr0Irv Coruqegpzlaw6Xc3Fam6Av1H Yykuswualspf7Jk2U46Hoegkottfbajrigywjh9Ist4Hcn4Sspfqinoertz N Psbz2 - Tipos De Empilhadeiras E Sua Classificação Wits

São empilhadeiras similares às empilhadeiras à gás que estamos acostumados a ver no Brasil. Ao contrário do que a maioria pensa, uma empilhadeira elétrica desse tipo pode pegar até 8 toneladas.

Vantagens

Não são máquinas frágeis, nem para serviço leve.

Dependendo da operação a empilhadeira elétrica consegue trabalhar em condições que as máquinas a combustão não conseguem, por exemplo, em pátios quentes e trabalhos árduos onde as empilhadeiras a gás costumam ter problema de super aquecimento. Com um motor elétrico ela pode trabalhar tranquilamente, sem super-aquecer.

Este modelo da foto é uma máquina de 1.600Kg com três rodas. As três rodas permitem que a máquina faça um giro perfeito ao redor da roda dianteira que fica parada, isso significa um corredor de trabalho muito menor, se comparado com a máquina de 4 rodas, que possui um giro maior.

Portanto esta máquina trabalha em ambientes internos e com pouco espaço. Veja a lâmina de especificação técnica de cada fabricante para saber qual o raio de giro e corredor de trabalho desta máquina.

Desvantagens

A desvantagem pode ser que com três rodas o operador seja obrigado a desviar dos buracos, dando uma volta ao redor do buraco, ao invés de deixar o buraco passar por entre as rodas.

Lembrando, é claro, que nenhuma empilhadeira é feita para trabalhar em pátios com muitos buracos, nem a elétrica, nem a combustão. Isso porque as empilhadeiras não possuem amortecedores, então o impacto destrói a máquina em pouco tempo.

A elétrica sofre mais num pátio com buracos porque normalmente suas rodas são “sólidas”, sem câmara de ar. Mas nada impede que elas usem pneus pneumáticos.

Já as empilhadeiras à combustão interna, com pneus pneumáticos, ou seja, com ar, tem esta ajuda na absorção dos impactos dos buracos.

Dentre os tipos de empilhadeiras, este tipo é recomendado para ambientes fechados, câmaras resfriadas e câmaras frigoríficas, porque elas são versáteis, podem percorrer longas distâncias, o operador sentado não se cansa, ela retira paletes do porta-paletes e consegue carregar dentro do caminhão, quando a torre é triplex e baixa o suficiente.

Todos os tipos de empilhadeiras sofrem em câmara fria, por conta dos problemas de vedação com o ambiente externo. A ante-câmara quase sempre tem passagem de ar externo, isso trás umidade, provoca a formação de gelo no chão, trazendo grande risco à operação e deixa a máquina “suada”, cheia de água, que com o tempo vai destruindo todos os componentes eletrônicos e mecânicos.

Veja: quanto ganha um operador de empilhadeira

Classe 2 – Empilhadeiras elétricas retráteis

Tipos De Empilhadeiras Eletrica Retratil
Empilhadeira elétrica retrátil

Neste modelo de empilhadeira o mastro avança e recua, como na foto acima, o mastro está avançado.

Normalmente a bateria não se move junto com o mastro, na foto a bateria está em posição para ser trocada por outra bateria, isso é necessário quando a máquina trabalha mais de um turno e precisa trocar de bateria, deixando uma para carregar e usando outra carregada.

Leia nosso passo a passo sobre como trocar uma bateria tracionária

Esse deslocamento do mastro ajuda a otimizar o espaço dentro do armazém. Contribuindo com o ganho de espaço em dois pontos principais:

1. Utilização máxima do porta-palete

Quando o mastro avança e recua ele permite que o porta garfos, e os garfos, encostem na estrutura porta-palete para retirar o palete em segurança, sem que seja necessário um espaço em baixo da estrutura para encaixar as patolas da máquina. Explicamos isso num vídeo em stop-motion, veja se dá pra entender:

2. Ganho no corredor de trabalho

No vídeo acima também é possível visualizar que a máquina consegue girar num raio menor, necessitando de um corredor de trabalho pequeno, se comparado com a empilhadeira de 4 rodas, porque seu mastro recua e ela ocupa menos espaço no giro.

É por isso que dentre todos os tipos de empilhadeiras disponíveis a empilhadeira elétrica retrátil é a mais utilizada.

Onde é a frente e onde é atrás da empilhadeira elétrica retrátil?

Essa pergunta é mais comum do que você imagina. Como na empilhadeira de contrapeso os garfos ficam pra frente do operador ninguém tem dúvidas onde é a frente e onde é atrás.

Mas na empilhadeira retrátil o operador fica de lado e por indução da outra empilhadeira, acredita-se erroneamente que a frente é pra onde fica os garfos.

A frente da empilhadeira retrátil é a esquerda do operador, o lado onde o operador sobe e desce. A empilhadeira sempre deve se deslocar assim, para esquerda do operador, por dois motivos principais:

  1. visibilidade – olhando para sua esquerda o operador tem o campo de visão livre e desimpedido.
  2. segurança – suponha que o operador sofra um acidente, se choque contra outra empilhadeira, o que acontece com a carga? A carga vem em direção à torre, assim o operador e as pessoas ao redor continuam protegidas. Se a empilhadeira estivesse se deslocando no sentido dos garfos a carga sairia voando, em caso de acidente, e os garfos seriam perigosos às pessoas ao redor.

Classe 3 – Transpaleteiras elétricas e empilhadeiras elétricas patoladas

If6Vb23Be Hw Kmeqpbbqckgrb8Pyej4Pjw9Ervbpht0Xuvno Grlp4Khnub65Ol8Vmxdtfpdu40Nkxzrudgool0Deaica48Ojdn3Dkipzel6Frxnflza9T3Eszkbg Nzuzmyw4K - Tipos De Empilhadeiras E Sua Classificação Wits

A transpaleteira elétrica, é um equipamento para movimentação horizontal dos paletes. Ela não está entre os tipos de empilhadeiras, pois ela não empilha, mas é uma máquina usada na movimentação interna de materiais, combinada com as empilhadeiras, e por isso é contabilizada na WITS.

Faz uma pequena elevação apenas para que o palete não se arraste pelo chão. Por ser um equipamento muito mais barato do que uma empilhadeira é amplamente utilizado na movimentação interna dos armazéns e galpões, pois polpa o desgaste da empilhadeira.

Além de transposrtar os paletes de um corredor a outro, é um equipamento versátil que pode carregar e desgarregar caminhões com muito mas segurança do que as transpaleteiras manuais.

Segundo os cálculos da nossa engenharia de aplicação, este equipamento elétrico substitui até 3 transpaleteiras manuais, o que representa uma grande economia para as empresas, alocando os colaboradores em outras funções e oferecendo mais conforto e segurança a todos dentro da operação.

As transpaleteiras elétricas usam baterias de chumbo-ácido, íons de lítio ou hidrogênio.

Azgynyccz9Udtphqgmw7Xdbdve - Tipos De Empilhadeiras E Sua Classificação Wits

A empilhadeira patolada com operador em pé é utilizada em pequenas operações, em estoques que possuem poucas posições palete e não possuem uma movimentação muito intensa.

Um bom exemplo de aplicação deste equipamento são os supermercados, nos seus estoques essas máquinas ajudam a subir e descer paletes dos produtos algumas vezes ao dia.

A elevação dos garfos vai até 6 metros de altura, a depender do fabricante.

Classe 4 – Empilhadeiras a combustão interna com pneus cushion

Não são tipos de empilhadeiras muito comuns no Brasil, mas são equipamentos muito comuns nos EUA e por isso usado por empresas americanas. Normalmente acoplados atrás dos caminhões para que o próprio caminhoneiro possa descarregar suas cargas no cliente.

Classe 5 – Empilhadeiras de contrapeso a combustão interna

Tipos De Empilhadeiras A Combustao
Empilhadeira a combustão de contrapeso, GLP.

Sem dúvida esse é tipo de empilhadeira mais utilizado no Brasil. As empilhadeiras de contrapeso movidas a motor com combustão interna.

As mais populares são as GLP, com botijão de gás. Mas é possível encontrar as de grande porte movidas a Diesel, que podem levantar até 8 toneladas em seus garfos.

É possível fazer uma adaptação e utilizar GNV nas empilhadeiras, existem empresas especializadas nesse tipo de adaptação.

São perfeitas para a movimentação de pátio, carregando e descarregando caminhões pela lateral. Podem usar pneus maciços, ou superelásticos, sem ar, evitando assim que pregos e pedaços de madeira do pátio furem seu pneu todo dia.

As rodas traseiras são as direcionais, são elas que giram, isso foi feito para ganhar agilidade no giro e nas manobras.

A tração é dianteira para garantir máxima aderência ao solo quando estiver carregada, facilitando assim a subida de rampas. Lembrando que as empilhadeiras estão em equilíbrio, o peso da frente, colocado nos garfos, é compensado pelo contrapeso atrás, como numa gangorra.

Em breve vamos escrever um artigo sobre isso.

Esperamos que os tipos de empilhadeiras e sua classificação pela WITS tenham ficado mais claras. Mas se você não entendeu algum ponto deste artigo escreve pra gente que a gente dá um jeito de explicar melhor 😉

Veja o COMPARATIVO que preparamos sobre: cursos de empilhadeira!

<- voltar para os artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rua Gastão Madeira, 427 cj13

Ubatuba – SP CEP 11680-000

Daniel Felipe Quaresma dos Santos ME

CNPJ 32.860.139/0001-00

Atalhos do site

© 2020 compartilhamentos autorizados desde que mantido a fonte, com link dofollow.

Apoie! compartilhar no

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Compartilhar no

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn